Sabemos que a artrite reumatoide é uma doença que provoca dor e, como descobrimos que situações estressantes são gatilhos para aumento das dores, quanto estressados, mais dores sentimos.

Gerenciar a vida com artrite é muito mais que tomar comprimido, ir ao médico e repetir os mesmos exames com frequência. Aliás, ir ao médico é algo estressante, ainda mais quando somos pacientes do SUS e nos tratamos em hospital escola. Fico pensando se é mesmo importante para o residente fazer inúmeras perguntas. Será que os médicos nunca pensaram que, para quem convive com artrite, as lembranças são doloridas? E quando chegamos no ambulatório do SUS e mudou o residente, já sabemos que teremos que contar tudo desde quando começou. Às vezes me pergunto: não seria mais didático o residente ler o prontuário do paciente e conhecer sua história no papel antes de bombardear o paciente de perguntas que causam dor? Um ponto de reflexão: ir ao médico é estressante e ser atendido por residentes, quando muda o residente, é mais estressante ainda.

Algumas situações de estresse, nós não podemos mudar, como essa do médico residente, mas situações do dia a dia, nós podemos sim, basta analisar e identificar o que causa estresse. Vale a pena viver esse estresse? Quando se tem artrite, é preciso avaliar todas as coisas com o risco x benefícios. Se os benefícios forem menores que os riscos, beleza, vá em frente; agora se os riscos forem maiores que os benefícios reavalie suas condutas e relacionamentos. Porque tudo que vivemos emocionalmente reflete sobre nossas dores da artrite! Seja prioridade para você mesmo sempre!