No frio, a dor, no verão, a fadiga. Quando se convive com Artrite Reumatoide, às vezes, a fadiga é mais impactante que a dor. Já observaram que não existe medicamento contra fadiga? Para a dor, temos uma infinidade de analgésicos e medidas não medicamentosas que provocam alívio, mas, para a fadiga, não existe nada melhor que uma boa cama.

Assim que o verão chega, começamos a sentir os efeitos da fadiga. A definição de fadiga é quando sua mente quer ir, a necessidade cobra a responsabilidade dos compromissos, mas o corpo não obedece. É como se o corpo estivesse pesando mil vezes mais.

Na Artrite Reumatoide, a fadiga serve, às vezes,  como um sinal para conversar com o médico. Se, de repente, estava tudo bem e chega uma fadiga repentina, vale a pena contar para o médico e juntos avaliarem se a fadiga é um sintoma que piora com o calor ou pode ser um sinal de atividade da doença.

Existem estudos que dizem que a fadiga acompanha a Artrite Reumatoide em atividade, por isso, fique alerta: se a fadiga começar a impactar suas atividades do dia a dia, converse com o seu médico.

Algumas dicas são bastante úteis para conviver melhor com a fadiga da AR;

  • ·         Repouse durante o dia, mesmo que não se sinta fatigado. Descanse, pelo menos, à tarde;
  • ·         Evite exposição ao sol em horários de sol intenso. O sol aumenta a sensação de fadiga;
  • ·         Beba água! Mantenha-se hidratado;
  • ·         Pratique atividade física;
  • ·         Organize suas atividades de forma espaçadas. Faça pequenas coisas várias vezes ao dia e nunca tente fazer todas as coisas no mesmo dia. Por exemplo: na faxina da casa, limpe uma parte da casa por dia. Tentar fazer todas as coisas num mesmo dia fará com que sua fadiga se intensifique e o sentimento de frustação também. Por isso, estabeleça prioridades e, aos poucos, vá adequando seu ritmo de vida à sua fadiga;

·         Acredite, uma hora a remissão da AR chega e, com ela, o fim da fadiga!