Muitas das minhas pacientes reclamam das dificuldades em casa com os utensílios domésticos e com o vestuário. Então, decidi fazer uma sequência de posts com orientações para ajudar todos vocês que convivem com AR.

Em primeiro lugar, sei que é difícil, e às vezes caro, mas necessário, fazer algumas adaptações na sua rotina, na sua casa e na sua vida para, assim, conviver melhor e com mais independência com a AR. Nem todas as mudanças são necessárias de início, mas é importante saber o que pode e deve ser feito.

Em casa:

·         Evite mesas e cadeiras pontiagudas;

·         Troque as torneiras e as maçanetas redondas das portas para aquelas de alavanca que são mais fáceis de pegar;

·         Instale barras de apoio no box do chuveiro, ao lado do vaso sanitário e nos corredores;

·         Instale corrimãos nas escadas; 

·         Eleve a altura da cama e do vaso sanitário para ficar mais próxima do nível do joelho (isso facilita o movimento de sentar e levantar);

·         Elimine os objetos que atrapalham a movimentação pelo ambiente como tapetes pequenos e escorregadios, muitos móveis ou objetos desnecessários;

·         Use um carrinho para carregar peso;

·         Otimize o uso dos armários da cozinha, deixando o que é mais usado na altura do tronco, evitando abaixar e levantar muitas vezes ou ter que subir em escada para pegar objetos;

·         Instale o varal de roupas na altura do peito ou então use um varal móvel;

·         Use utensílios tecnológicos como escova e faca elétrica;

·         Use talheres desenvolvidos para pacientes com AR ou adapte os seus (use uma esponja ao redor da escova de dentes para ficar mais fácil de segurar por exemplo);

·         Prefira janelas de correr;

·         Prefira telefone com teclas maiores;

·         Portas mais largas (90cm) facilitam a passagem de cadeira de rodas ou andador.

Para finalizar, peça ajuda quando precisar. Não abuse do seu corpo.