ATM é a sigla para articulação temporomandibular, a articulação que liga o maxilar à mandíbula e que é usada para abrir a boca e mastigar. Existem duas ATMs: uma do lado direito e uma do lado esquerdo, localizadas à frente do ouvido. Ela é uma das articulações mais utilizadas e complicadas de todo o corpo, pois abre e fecha de 1.500 a 2.000 vezes ao dia, nos movimentos de falar, mastigar, bocejar e engolir e tem várias estruturas como músculos, ligamentos, discos e ossos envolvidos.

Pouco se fala, mas a ATM é uma articulação muito acometida nos pacientes com AR e por isso a importância de se conhecer melhor o funcionamento.

Quando essas estruturas não funcionam da maneira correta, a alteração recebe o nome de disfunção temporomandibular (DTM). Existem vários sinais e sintomas para as DTMs, entre eles: 

  • Dor nas articulações;
  • Ruído nas articulações (estalido, rangido);
  • Crepitação (sensação de areia);
  • Sensação de desencaixe ou travamento ao abrir ou fechar a aboca;
  • Dor ao bocejar, ao abrir muito a boca ou ao mastigar;
  • Dor de cabeça;
  • Dor de ouvido e zumbido;
  • Dor e pressão atrás dos olhos;
  • Mudança no modo que os dentes se encaixam (sensação de mordida torta);
  • Mudança na postura da cabeça;
  • Desgaste dental.

O diagnóstico da DTM é feito com exame físico e alguns exames de imagem. O tratamento, que pode ser conservador ou cirúrgico, envolve uma equipe multidisciplinar com médico, dentista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo e psicólogo.

No tratamento conservador são usados medicamentos para diminuir a dor, placa de mordida (feita sob medida) para posicionar e proteger os dentes e relaxar a musculatura e fisioterapia para aliviar a dor e a inflamação, exercitar a musculatura e manter a mobilidade articular.