A prática de atividade física na artrite reumatoide é repleta de mitos: uns pensam que a atividade física é totalmente proibida, outros imaginam a atividade física como algo de alto custo e inacessível. Mas, na verdade, a atividade física é algo necessário, tão necessário quanto tomar remédio e pode ser mais em conta do que pensamos.

Ao decidir enfrentar a atividade física, tenha em mente que o primeiro mês será cruel. As dores parecem aumentar nos primeiros vinte dias, mas depois disso, passamos a sentir uma sensação de bem-estar, leveza, e sentimos nossos membros (pernas e braços) mais fortes e resistentes. Como pacientes devemos pensar em atividade física como uma atividade de vida diária e um investimento em longo prazo, pois os músculos se tornam fortes, a nossa resistência física aumenta (aquele caminhar com passo mais largo, que deixava palpitante, passa a ser tranquilo) e também aumenta a sensação de autonomia.

E sobre o melhor exercício? Saiba que não existe uma receita para todos! O melhor exercício é aquele que faz bem e feliz, mas sempre priorizando suas condições clínicas e seu limite de dor e, claro, as orientações médicas.