Controle da dor na artrite reumatoide

Controle da dor na artrite reumatoide

 

A melhor maneira de gerenciar a dor é uma preocupação constante do paciente de artrite reumatoide. Nenhum método é garantia de alívio completo para sempre. Às vezes é necessário combinar técnicas e descobrir as que mais se adequam de acordo com as mudanças ao longo do tempo.

 

Além dos medicamentos para o alívio da dor e até uma cirurgia, há outras medidas que podem ser adotadas Mas o primeiro passo para gerenciar a dor é a informação: aprender tudo o que for possível sobre tratamentos para dor e sempre discutir possibilidades com o médico que acompanha o caso.

 

O segundo passo é a reabilitação física. Um fisioterapeuta pode ensinar o paciente a ajustar a sua postura para que possa se mover com menos dor e fazer as tarefas cotidianas, bem como exercícios para fortalecer as articulações, melhorar a flexibilidade, a circulação e ajudar na eliminação de um eventual sobrepeso que esteja impondo mais pressão nas juntas.

 

O terceiro passo para o controle da dor são cuidados que se pode ter em casa. A aplicação de calor pode ajudar a diminuir a inflamação, relaxar os músculos e eliminar o ácido lático, que causa rigidez e dor. A alternância de água quente e fria também pode ajudar a diminuir o inchaço e a dor, assim como a aplicação de compressas geladas. Além disso, é importante equilibrar atividade com períodos de descanso.

 

Os cuidados com o paciente de AR envolvem profissionais de outras especialidades, que devem trabalhar em conjunto. O quarto passo é procurá-los. A acupuntura reduz bastante a dor e melhora a mobilidade depois de algum tempo. Já a massagem proporciona alívio temporário da dor e a aplicação de ultrassom aquece os tecidos e alivia a dor e a inflamação.

 

O autocontrole é o quinto e último passo para o gerenciamento da dor. Reduzir a ansiedade, controlar o sofrimento emocional e até uma possível depressão, bem como melhorar a qualidade do sono, são procedimentos que podem ajudar a reduzir a dor.

 

Técnicas de psicoterapia podem ajudar, como a hipnose, biofeedback e terapia cognitivo-comportamental. Elas podem trazer relaxamento profundo, ensinar a controlar as respostas involuntárias do corpo aos gatilhos da dor, sentimentos e reações físicas. Afinal, a capacidade de aproveitar a vida e melhorar o bem-estar psicológico são os principais objetivos do tratamento da dor crônica.