Como descrever a dor da artrite reumatoide (AR)? Talvez a descrição mais compreensível seja “uma dor de dente em várias articulações, dor que pulsa, que é contínua, que persiste, uma dor que limita e deprime”. Somente sabe a intensidade da dor da AR, quem tem AR. A dor é uma constante em nossas vidas, com doença controlada a dor é menos intensa, mas a dor é sempre uma companheira, e, por isso, precisamos aprender a conviver com ela e buscar alternativas de controle da dor. Algumas dicas:
 
  • Compressas quentes ou fria; essa é uma informação que precisa ser perguntada ao médico. Eu, particularmente, não consigo suportar compressas geladas e tenho a sensação de que compressas quentes aumentam a minha dor.
 
  • Medicamentos: é preciso aprender que os medicamentos mais fortes para dor, chamados analgésicos narcóticos, são potentes no controle da dor, mas, por outro lado, são viciantes. Por isso, como pacientes com dor crônica, devemos ser educados para o uso racional e consciente de analgésicos narcóticos, sempre com prescrição médica e por períodos curtos

Ainda sobre medicamentos, o nosso socorro sempre presente são os antiinflamatórios e 

corticoides, ambos vendidos sem receita e, infelizmente, em algum momento da nossa vida, 
praticamos a automedicação. Devemos respeitar que médicos foram feitos para cuidarem de 
nós pacientes, portanto não use medicamentos sem prescrição médica. 

As medidas não medicamentosa para controle da dor são as mais seguras e incluem:

Uso de talas e órteses de proteção articular: existem vários modelos prontos que podem ser comprados nas farmácias ou em lojas de artigos médicos. São dois modelos: as órteses que imobilizam a articulação (usadas para promover o repouso articular) e as órteses que imobilizam parcialmente, dando firmeza para os movimentos (chamadas de órteses para realizar atividades de vida diária). 
Evite sobrecarga articular, respeite o limite da sua dor.

Pomadas antiinflamatórias: existem nas farmárcias vários tipos de pomadas analgésicas e anti-inflamatórias, geralmente de baixo custo, e, quando o uso  uso de pomadas e as órteses, auxiliam bastante nos quadros álgicos. Existem inclusive algumas pomadas para dor com efeito prolongado, realmente muito úteis. Eu não vivo sem. 

Atividade Física: acredite, a prática de atividade física é analgésica, promove o fortalecimento dos músculos e auxilia na produção de hormônios que atuam como analgésico natural contra a dor crônica, além de fazer bem a todo o nosso corpo, mente e ajudar a manter o peso saudável.
 
Descanso versus atividade: organize o seu dia com vários pequenos períodos de repouso, faça alongamentos de tempos em tempos, evite ficar parado na mesma posição, evite movimentos repetitivos e nunca tente fazer toda as atividades do serviço de casa de uma só vez, divida suas tarefas e as execute aos poucos.
 
Medicamento ou droga? Tudo depende da dose! 
A dor da artrite reumatoide nos faz muitas vezes necessitar de medicamentos para dor cada vez mais forte e, quando falamos em medicamentos para dor forte, falamos dos 
medicamentos considerados analgésicos narcóticos, analgésico opióide ou, popularmente conhecidos por remédio de tarja preta, controlado. O uso desse tipo de medicamento está cada vez mais ligado ao vício e dependência química. 
Estes tipos de medicamentos foram feitos para serem usados por períodos curtos e não continuamente. Cada caso é um caso e, no caso da dor da artrite reumatoide, o uso de 
medicamentos controlados pode nos levar rapidinho a uma dependência, em que, em pouco tempo, estaremos tomando algo mais forte.